Edição 97

Novembro de 2013

DOSSIÊ: MOBILIZAÇõES, PROTESTOS E REVOLUÇõES

Brasil, junho de 2013: classes e ideologias cruzadas

As assim chamadas "jornadas de junho" brasileiras produziram um tremor de terra, porém não chegaria a qualificá-las, como Marx qualificou as jornadas de 1848, de terremoto, uma vez que o travejamento fundamental da ordem não foi questionado. As relações de classe e propriedade não estiveram diretamente no centro das manifestações e as regras do jogo político foram visadas de maneira difusa. Prova disso é que as propostas de Constituinte exclusiva e plebiscito para a reforma política caíram no vazio, tendo sido esquecidas quase logo depois que o mês acabou.

ARTIGOS

Voz, sexo e abismo: Alfonsina Storni e Horacio Quiroga

Alfonsina Storni (1892-1938) e Horacio Quiroga (1878-1937) são escritores profissionais emblemáticos do campo literário argentino, nas três primeiras décadas do século XX, numa conjuntura em que o ofício letrado respondia às necessidades de uma fervilhante indústria cultural de impressos. Prensados entre o rechaço movido pelos líderes da vanguarda martinfierrista e a adulação concedida pelos periódicos de ampla tiragem, eles deram feição inovadora a gêneros canônicos por meio de linguagens ajustadas às preferências do público emergente e aos moldes imperativos da mídia impressa.

ENTREVISTA

Corpos e fronteiras: uma conversa com Ella Shohat

Para Ella Habiba Shohat, não parecem óbvias as linhas divisórias em torno das quais se articulam alguns dos conflitos mais ardilosos de nosso tempo. Ela define a si mesma como judia árabe, iraquiana israelita, escritora, ativista, intelectual e acadêmica que elegeu os Estados Unidos como país de residência, onde é professora de Estudos Culturais e Gênero na New York University. Não surpreende que as fronteiras constituam a principal inspiração e o eixo articulador de seu trabalho acadêmico: trata-se de discutir como as fronteiras podem ser imaginadas, construídas e desconstruídas.

ARTIGOS

A morte do Alferes Cabrita e a paixão portuguesa: dois filmes de Manoel de Oliveira

Uma questão-chave de "Non ou a vã glória de mandar" advém do cotejo entre os cerimoniais de guerra e de morte que compõem a história relatada pelo alferes e as condições mais insípidas de sua própria morte no hospital militar em Luanda. Ao longo do filme, há um fio de relações que se tece pela expressão de rostos e olhares diante da morte e do desastre, algo que se reconfigura a cada episódio.

ARTIGOS

A democracia do público reconsiderada

Quase vinte anos se passaram desde que escrevi Princípios do governo representativo. Embora a substância do livro permanecesse na maior parte inalterada, se tivesse de reescrevê-lo hoje, penso que o capítulo que discute as transformações do governo representativo poderia se beneficiar da incorporação de mais informação empírica do que a que estava disponível para mim à época da redação original.

ARTIGOS

A gestão macroeconômica do governo Dilma (2011 e 2012)

OPINIÃO

Moralidade e política em uma sociedade de massa

DOSSIÊ: MOBILIZAÇõES, PROTESTOS E REVOLUÇõES

Respeitável público: performance e organização dos movimentos antes dos protestos de 2013

DOSSIÊ: MOBILIZAÇõES, PROTESTOS E REVOLUÇõES

O longo verão da Turquia: entendendo o levante Gezi

CRÍTICA

Mortos adiados

Novembro 2013

Julho 2013

Março 2013

Novembro 2012